"Elastic Heart" nunca será "Chandelier"

Por melhor que seja, novo clipe de Sia não deve repetir sucesso do anterior

"Elastic Heart" nunca será "Chandelier"

Hoje, 07 de janeiro, o clipe de Chandelier, ultrapassa a marca de 432 milhões de visualizações no YouTube, o que faz dele um dos maiores sucessos dessas últimas temporadas. Para pegar carona nessa carreira, Sia lançou Elastic Heart como quase uma espécie de continuação ao anterior. Por melhor que ele seja, entretanto, dificilmente será tão lembrado quanto o original.

Ambos trazem uma mesma premissa, em linhas muito gerais, a de uma personagem que tenta escapar de um ambiente fechado sob uma influência negativa. No primeiro, é o alcoolismo retratado na letra e coreografia ("One, two, three, drink"). No novo, o antagonista é personificado como mais um elemento em cena, interpretado pelo ator Shia LaBeouf.

Dividir a tela com alguém não é problema para a bailarina Maddie Ziegler, já que ela sabe cativar nossa atenção como poucos. E Chandelier se resumia bastante a isso, ao oservar a liberdade desejada no desequilíbrio entre os movimentos fechados e bruscos enquanto ela está sentada e naqueles mais amplos que fazem a menina quase voar. A câmera está na altura dela para acompanhar sua perspectiva e, por vezes, deixa ela escapar do quadro.

Já em Elastic Heart, a personagem adquire uma postura agressiva para se defender e atacar seu oponente, o que pode intimidar também o espectador. Logo que eles começam seu embate dançado, duas coisas são facilmente notadas: Uma quantidade de cortes bem maior do que as longas durações dos planos do anterior e uma coreografia bem menos impressionante, para não dizer "insuficiente'.

A variação das tomadas, inclusive, vem pra resolver isso, por um lado - já que a coreografia de Chandelier vista em um palco seria mais impressionante do que a deste -, mas isso acontece também para tentar minimizar o desequilíbrio entre o domínio na dança entre os dois. Não é pejorativo esperar que LaBeouf não seja tão bom quanto ela porque Maddie é de fato uma bailarina e o ator possui oportunidade (e aproveita ela muito bem) para mostrar seu talento cênico no clipe.

Mas é bem aí também que entendemos a necessidade de alguém famoso para contracenar com ela. Não bastava ser um bom ator, tinha que ser um cara que chamasse a atenção por si só também.

Existe um outro fator que pode (e vai) incomodar alguns, que é a sexualização de uma garota tão nova no vídeo. Não, eles não desenvolvem qualquer ato propositalmente erotizado no clipe, mas qualquer adulto consegue enxergar facilmente uma situação lasciva quando um homem seminu deita-se ao lado de uma menina para acariciá-la.

Somados, todos esses fatores devem contribuir para que o alcance de Elastic Heart seja mais baixo do que o de Chandelier, ainda que ele tenha uma carreira de sucesso em qualquer tipo de tela. A maior característica negativa, no entanto, é a do quanto tudo isso pode distrair do potencial emotivo do vídeo, enquanto o anterior vinha direto ao estômago do espectador com as piruetas do refrão.

Artista: Sia

Marcadores: Vídeo